• Ícone bandeira do Brasil
  • Ícone bandeira da Inglaterra
  • Ícone bandeira da Espanha

A Interdependência da Nuvem e da Mobilidade

29/03/2016
A Interdependência da Nuvem e da Mobilidade

A computação em nuvem e a computação móvel são sistemas profundamente simbióticos. Ambos evoluem e amadurecem juntos e estão tão enraizados no dia-a-dia das pessoas, que nem nos damos conta de como essa estrutura é complexa, e se tornaram peças fundamentais para todos que lidam com tecnologia e para quem simplesmente precisa armazenar documentos de forma segura. O Crescimento dos arquivos digitais, de forma desordenada, tem feito com que a aparente simplicidade em operar os dispositivos móveis, gera uma complexidade maior para quem gerencia a computação em nuvem, pois toda essa informação é acessada e armazenada nas nuvens computacionais, o que demanda dos “Cloud Managers” um bom planejamento que será capaz de suportar esta demanda.

Apesar de a mobilidade não ser algo extremamente novo, o fato de se poder ter todos os aparelhos eletrônicos conectados a uma rede é algo que era impossível de ser pensado há 15 ou 20 anos. Hoje, já ficaria difícil realizar as mesmas tarefas sem internet no celular ou em outro dispositivo móvel. Da mesma forma que os dispositivos ao nosso redor mudaram, a necessidade que sentimos em usá-los também mudou, se tornou mandatório checar as redes sociais, estar disponível para a comunicação o tempo inteiro pois, uma quantidade crescente de profissionais ocupam seu tempo entre salas de reunião e prédios diversos, sempre com a necessidade de checar periodicamente e-mails, mensagens instantâneas e mesmo fazer reuniões remotamente. Entenda, no artigo de hoje, como funciona a interdependência da Nuvem e da mobilidade. Vamos lá?

A computação em nuvem

Quando se fala em computação nas nuvens, fala-se na possibilidade de acessar arquivos e executar diferentes tarefas pela internet. Quer dizer, você não precisa instalar aplicativos no seu computador para tudo, pois pode acessar diferentes serviços online para fazer o que precisa, já que os dados não se encontram em um computador específico, mas sim em uma rede.

Uma vez devidamente conectado ao serviço online, é possível desfrutar suas ferramentas e salvar todo o trabalho que for feito para acessá-lo depois de qualquer lugar — é justamente por isso que o seu computador estará nas nuvens, pois você poderá acessar os aplicativos a partir de qualquer computador que tenha acesso à internet. Basta pensar que, a partir de uma conexão com a internet, você pode acessar um servidor capaz de executar o aplicativo desejado, que pode ser desde um processador de textos até mesmo um jogo ou um pesado editor de vídeos. Enquanto os servidores executam um programa ou acessam uma determinada informação, o seu computador precisa apenas do monitor e dos periféricos para que você interaja.

A computação em nuvem é uma grande virtualização, conceitualmente semelhante àquela usada em Data Centers para servidores, porém trabalha em nível global. E a virtualização não só de servidores, mas também de armazenamento e aplicações, que podem estar em qualquer lugar do mundo, em qualquer Data Center, de forma transparente para quem utiliza os serviços.

Dispositivos Móveis

O desenho da nuvem está bem caracterizado quando estabelecemos as conexões entre os Data Centers através de uma malha global de fibras ópticas que passa por vários ambientes. E também as conexões internas, permitindo que máquinas se comuniquem a mais de 100Gb/s. Podemos dizer que desta forma, os meios para a virtualização que promove a computação em nuvem estão definidos. Resta agora saber como as informações trafegam dos dispositivos móveis para a nuvem e vice-versa.

As conexões que serão usadas para o acesso dos dispositivos periféricos e móveis são apontadas para fora da nuvem e possuem capacidades menores que as redes de transporte, mas são muito mais capitalizadas. Dos Data Centers, pontos de presença de operadoras ou acessos das redes de transporte ópticas partem as redes de acesso para dispositivos únicos ou grupos. Essas redes de acesso chegam até empresas que possuem centenas de desktops ligados à rede corporativa e pontos de acesso Wi-Fi para notebooks, smartphones e tablets que circulam em seu interior.

Gostou do artigo de hoje? Tem alguma dúvida ou gostaria de compartilhar a sua experiência conosco? Deixe o seu comentário ou clique aqui!

Solicite uma proposta Solicite uma proposta Agende um tour Agende um tour Chat online Chat online