• Ícone bandeira do Brasil
  • Ícone bandeira da Inglaterra
  • Ícone bandeira da Espanha

Custos que as Organizações devem Considerar

20/03/2016
Custos que as Organizações devem Considerar

Estratégias e governanças corporativas vêm tomando um novo alinhamento, parte se deve a atual conjuntura econômica do país, considerando os entraves impostos. Estabelecer um plano de restrição de gastos e de cortes orçamentários nem sempre é uma decisão fácil, já que envolve diretamente os custos e os resultados da organização. Mas, examinar e medir alternativas entre investir (CAPEX) ou contratar como serviço (OPEX) acabam sendo de grande relevância frente às decisões de aplicação em ativos fixos.

 

Primeiramente vale destacar o real significado destes dois termos:

CAPEX (Capital Expenditure): Investimento em bens de capital, a sigla representa despesas de capital; compra de bens como computadores, automóveis, softwares;

OPEX (Operational Expenditure): Despesas operacionais, designando o gasto operacional, destinado à manutenção ou melhora dos bens da companhia.

É necessário levar em consideração que as decisões devem estar sempre alinhadas com as demandas da empresa, por isso, a escolha entre CAPEX e OPEX nem sempre está vinculada a definições, mas sim as reais estratégias estabelecidas, variando de projeto para projeto.

 

CAPEX versus OPEX

A ideia de investir ou contratar como serviço nem sempre é escolhida de forma correta, já que poderá ou não trazer benefícios futuros. Escolher um CAPEX ou OPEX não é como uma receita de bolo, e precisa ser minuciosamente analisada. Vejamos: Opex diz respeitos às despesas operacionais, em contrapartida com o CAPEX, que está relacionado ao investimento em bens de capital; parte do sucesso de um projeto se refere à previsão destes custos e sua efetivação. Por isso, o CAPEX deve ser visto como dispêndios que irão gerar benefícios futuros. Mas, tributariamente, diante da posse de bens, irão gerar tributos, o que não ocorre com a contratação de serviços (OPEX).

 

Qual a melhor alternativa: investir ou comprar?

Atualmente empresas estão optando pelo uso do OPEX ao invés de CAPEX. Ou seja, pela dificuldade de obtenção de recursos para investimento, empresas passam a procurar a terceirização ou parcerias com outras empresas em consórcio, bem como o recurso ao aluguel. Vale destacar que este caso é inevitável que a empresa gerencie o desempenho tanto dos custos internos bem como os custos de serviços externos similares.

 

Prós e contras

A grande vantagem do CAPEX está atrelada ao investimento, uma vez que este permanece inteiramente aplicado nas operações da empresa, ou seja, sua depreciação ocorrerá a partir da previsão da sua duração. Um contraponto importante a se considerar deve-se aos encargos financeiros e do custo de oportunidade do capital investido, que pode exigir retorno rápido e ser de alto valor, o que nem sempre é possível.

 

No caso da OPEX é a economia do capital que conta, uma vez que este não é requerido para o investimento, passando a ter-se um custo ou uma despesa, dependendo do uso do gasto – respectivamente, se para a fabricação de produtos ou para outras finalidades administrativas e operacionais.

 

Vantagem tributária

Conforme a classificação como um custo ou uma despesa, além do tempo de processamento do produto, estocagem e venda, o uso da OPEX tem suas vantagens tributárias, já que pode trazer dedutibilidade quanto ao gasto, quando comparada ao CAPEX, que será depreciado conforme sua vida útil e dedutível conforme as taxas definidas na legislação dos impostos que incidem sobre o resultado.