As 7 principais tendências em Data Center para 2022

Que tal ouvir o conteúdo?

Não há como negar que 2021 foi um ano de contrastes. Com a volta gradual à rotina de trabalho, muitas empresas se viram diante de uma escolha importante: voltar aos escritórios ou migrar para o home office? Esse é um dos dilemas que moldou as tendências em data center para 2022.

Afinal, o mundo inteiro depende de data centers para manter tudo funcionando, seja trabalhando no escritório ou em casa. E para as empresas, esse recurso já se tornou um dos pilares estratégicos da sua operação.

Tanto que a principal dúvida das organizações hoje não é: “devo investir em um data center?“, mas sim “como melhorar minha solução de data center?“.

Olhe para sua operação e nos diga: ultimamente os esforços se voltaram para otimizar seus processos, certo?

Afinal, a maioria das companhias já identificou grande valor em modelos mais flexíveis de trabalho. Com isso resolvido, é hora de testar limites e expandir sua capacidade produtiva.

O que, neste caso, envolve o investimento em inovações.

Para 2022, as tendências em data center se dividem em várias áreas: algumas inovações importantes em infraestrutura, em capacidade e em sustentabilidade. Que tal conferir as principais? Então confira a lista que preparamos para você!

O mercado de Data Centers para 2022

Após um 2021 transitório, quais respostas o mercado de data center vai apresentar em 2022? Separamos as principais tendências em data center para você conferir, veja!

1.                 Automação de tarefas

A automação está chegando aos data centers de muitas maneiras. Parte da inércia do trabalho remoto gerada pela pandemia criou uma abertura para introduzir a automação de tarefas e a robótica em data centers.

No caso, falamos de exemplos práticos, como empresas que instalaram robôs aspiradores de pó com sensores que mediam as temperaturas e o nível de umidade no data center.

Fato é que à medida que a escala dos data centers aumenta, o volume total de hardware e software que precisa ser gerenciado ultrapassará em muito as capacidades da equipe humana.

Trata-se de um movimento que exige investimentos em prol da otimização de tarefas, o que dá lugar à automatização de tarefas nas instalações de data centers.

É uma maneira mais segura de operar em ambientes com temperaturas altamente controladas, reduzindo os custos operacionais e de refrigeração, e aumentando a segurança.

2.                 Escalabilidade

Quanto mais empresas necessitam de flexibilidade no seu ambiente digital, mais escala é exigida dos data centers. Para responder demandas como essas que soluções como data centers em hiperescala ou o edge computing são ideais.

Desse modo, é possível lidar com as demandas e as cargas de trabalho mais facilmente, dando maior poder à empresa e estabilizando suas operações digitais.

É por isso que cada vez mais empresas vêm investindo em hiperconvergência, que virtualiza os elementos de hardware e os define por software.

3.                 Segurança redobrada 

À medida que as ameaças cibernéticas se tornam mais complexas, os cibercriminosos continuam a visar os data centers — baús do tesouro de dados e informações valiosas.

Hoje, há várias iniciativas de segurança para tornar os data centers e os serviços neles baseados completamente blindados.

Afinal, não é novidade que algumas empresas enfrentaram diferentes tipos de violações de dados.

Por isso, as empresas especializadas no assunto já se garantem, com uma grande inovação prometendo ser uma das prioridades para 2022: a segurança no nível do chip, que protege tanto hardware como o software de invasões.

4.                 Maior preocupação com a sustentabilidade

A TI Verde não é simplesmente uma tendência, mas uma realidade da indústria de data centers.

Não há dúvidas de que as instalações de data centers consomem bastante energia. É por isso que mais empresas do ramo investem em tecnologias sustentáveis.

Desse modo, é possível potencializar a capacidade da tecnologia, ao mesmo tempo em que se reduz o consumo de energia com TI. Para isso, é necessário contar com uma abordagem multifacetada, examinando tudo, desde a produção de energia até o uso de água.

Mais do que reduzir o consumo, a estratégia é migrar para o uso de energia renovável, mirando a eficiência energética em data centers.

Uma das provas disso é o investimento de grandes players do mercado de data centers na Certificação ISO 14.001, que comprova o comprometimento da empresa e a implementação de processos eficazes para melhorar a gestão ambiental.

5.                 Aumento do uso da Inteligência Artificial

Sabemos que Inteligência Artificial não é exatamente uma novidade, mas seria um erro não considerá-la uma tendência em data center.

Neste caso específico, não falamos de uma evolução hollywoodiana, na qual robôs ocupam tarefas do dia a dia, mas de algoritmos cada vez mais complexos e capazes de potencializar as tarefas digitais.

Nos data centers, eles vão automatizar processos mundanos, permitindo que os talentos humanos possam ser aplicados onde mais importa: na criação de soluções e na resolução de problemas.

6.                 Multicloud

Sua empresa já ouviu falar da multicloud? Essa solução é uma das melhores escolhas para organizações que buscam mais escalabilidade, disponibilidade e segurança para sua infraestrutura de dados.

A multicloud é uma combinação de diferentes provedores e serviços de nuvem. Como um combo com as melhores opções, sejam elas públicas, privadas ou híbridas.

Uma das grandes vantagens da multicloud é que, ao contrário da nuvem híbrida, é que as nuvens podem ser interdependentes. Ou seja, elas não precisam ser integradas.

É uma maneira mais flexível e autônoma de configurar a sua infraestrutura de dados.

7.                 Edge Computing

Com a crescente do mercado de IoT e mais consumidores ansiando por serviços de conteúdos digitais, a demanda por redes de alta disponibilidade e baixa latência será maior do que nunca em 2022.

As empresas que buscam aprimorar a experiência do cliente vão recorrer a cada vez mais soluções de edge computing — computação de borda, de modo a aprimorar sua flexibilidade de TI.

Assim, em vez de centralizar seus ativos digitais em uma única (e muitas vezes distante) localidade, eles podem criar uma rede versátil que mantém os dados próximos aos usuários finais e maximiza o desempenho.

Gostou de conhecer as principais tendências em data center para 2022? Buscamos trazer os temas de maior valor para o mercado no momento e que, com certeza, vão ser destaque neste ano.

E então, que tal seguir acompanhando a evolução de cada uma dessas tendências? É só continuar de olho em nosso blog!

Temos novos artigos e conteúdos especializados toda semana, fique de olho!