Como a AICX é capaz de fazer a sua empresa ter mais eficiência na conexão com a internet, aumentar a resiliência e trazer economia de custos

O Ascenty Internet Connectivity Exchange (AICX) pode transformar a forma que a sua empresa consome banda, bem como diversos conteúdos e inúmeros serviços por meio da Internet. Se a conectividade é o pilar de uma operação bem-sucedida, com o AICX sua organização dá um passo além na consolidação do seu negócio.

A solução da Ascenty pode ser muito estratégica para sua empresa, colocando-a em outro patamar de conectividade, ao mesmo tempo em que contribui para o aumento da resiliência da conectividade e para uma redução significativa dos custos com banda.

Neste conteúdo, vamos te explicar tudo sobre a AICX do ponto de vista do cliente: o que você ganharia com a solução da Ascenty? Vamos te explicar o que é o AICX, como funciona e seus benefícios.

Que tal entender mais? Confira!

AICX: entenda essa solução desenvolvida pela Ascenty

O Ascenty Internet Connectivity Exchange (AICX) é uma plataforma de alta capacidade conectiva, que oferece uma conexão mais resiliente, econômica e altamente escalável para as empresas. O AICX conecta diretamente os clientes aos maiores provedores de conteúdo do mercado.

Como? Com uma única porta de conexão, proporcionando trânsito premium, específico e direcionado, aos principais provedores de conteúdo — sem utilizar a Internet.

É que o AICX é uma plataforma que se conecta a esses players e foi desenvolvida como uma solução de auxiliar os ISPs (Internet Services Providers) e operadoras de Telecom, bem como clientes diversos, a obterem maior resiliência, disponibilidade e continuidade para suas operações.

Aqui no blog, já explicamos sobre o funcionamento de um IX ou Internet Exchange — antigamente conhecido como o PTT ou Ponto de Troca de Tráfego.

Trata-se de um local físico no qual empresas como ISPs e organizações com Autonomous Systems conectam-se umas às outras. Eles servem de “ponte” entre diferentes redes, permitindo que os provedores compartilhem o tráfego externamente à sua rede.

É um tipo de hub de provedores de serviços na Internet — já o AICX é caracterizado por ser uma plataforma que proporciona acesso somente aos principais e melhores provedores de conteúdo do mercado e não a outros participantes.

Além da acessibilidade, destaca-se também o potencial da infraestrutura, capaz de encurtar o caminho entre o cliente e os provedores, reduzindo a latência e a quantidade de redes / prefixos recebidos, melhorando o tráfego de dados e reduzindo custos operacionais.

Ou seja, trata-se de uma solução essencial na construção de um ecossistema de conectividade robusto.

Para qual tipo de empresa a AICX é indicada?

O AICX é uma solução ideal para ISPs e empresas do segmento de conectividade que buscam maior confiabilidade, estabilidade e menor latência para oferecer seus serviços em suas áreas de atuação, principalmente os que buscam uma conexão que aumente a disponibilidade dos serviços de internet.

Isso acontece porque o AICX oferece acesso direto e específico aos seus clientes ao conteúdo que eles querem.

O que acesso direto e trânsito premium significam? Trata-se de uma conexão única entre sua empresa e o portfólio de diversos provedores de conteúdo.

Voltando alguns passos, o tráfego convencional é conhecido como conexão ATM (ou Asynchronous Transfer Mode).

Essa tecnologia de rede permite que um dado seja transferido de um ponto A para o ponto B, mas para isso é necessário que esse dado seja dividido em pequenos pacotes de dados.

Ou seja, cada vez que a sua empresa necessita de um serviço de um provedor pela Internet, ele é desfragmentado e enviado pela rede.

O mesmo acontece quando você envia uma foto ou áudio para algum contato por meio da Internet (como no WhatsApp, por exemplo). Cada arquivo é desfragmentado em vários pequenos pacotes e, só então, enviados.

Os pacotes viajam de maneira aleatória pela rede, atravessando diversos pontos de troca de tráfego.

É um modelo eficaz — tanto que é utilizado até hoje — mas passível de maior latência, além da quantidade elevada de redes que são recebidas, bem como necessitando de maior banda para que os dados vençam as distâncias para chegar ao destino.

O AICX elimina esse fator de risco, criando uma conexão direta entre a Ascenty, sua empresa e o provedor de conteúdos. Assim, tudo que sua empresa necessitar do provedor, será acessado de forma direta.

Mas afinal, como a AICX é capaz de reduzir a necessidade de banda e economizar custos?

Como mencionamos, o AICX proporciona uma conexão direta entre a sua empresa e os diversos conteúdos dos principais provedores do mercado.

Ou seja, lembra da questão da conexão ATM, que fragmenta os dados para então enviá-los pela rede? Com o AICX é um pouco diferente . Ou seja, trata-se basicamente de uma conexão direcionada somente aos conteúdos efetivos e não a uma infinidade de participantes.

Na prática, quer dizer que a AICX reduz a necessidade de banda pelo simples fato de conectar diretamente o cliente com o conteúdo do provedor.

Assim, não é necessário desfragmentar o conteúdo e enviá-lo por uma rede vasta, para viajar por diversos pontos de troca. Com o AICX, o conteúdo vai diretamente para a sua empresa, de modo a tornar essa troca muito mais assertiva e eficiente.

Desse modo, você gasta menos com a conta de Internet, o que permite alocar esse capital de maneira estratégica em outras áreas da empresa.

Além disso, o AICX é uma plataforma completamente escalável, capaz de acompanhar o nível de demanda do seu negócio.

Você é um ISP pequeno e precisa oferecer serviços capazes de competir em qualidade e preço com os grandes players desse mercado tão concorrido? Com o AICX, é possível!

A plataforma é uma alternativa de redundância aos meios convencionais de conexão, mas com 3 pontos positivos difíceis de se encontrar no mercado: é acessível, é seguro e extremamente eficaz.

Gostou de aprender mais sobre o AICX? Entenda o valor que a plataforma pode agregar ao seu negócio, melhorando suas entregas aos clientes! Como?

É só agendar uma reunião com a Ascenty para entender mais sobre o AICX!

7 erros que comprometem a segurança de dados na sua empresa

Podemos dizer que uma empresa não investir em segurança de dados é o mesmo que um cidadão comum deixar o portão da residência o dia inteiro aberto para a entrada de invasores. A comparação pode parecer exagerada em um primeiro momento, mas uma análise da conjuntura atual nos leva a perceber que essa analogia tem bastante sentido.

Um dos motivos é que os cibercriminosos estão adotando procedimentos cada vez mais sofisticados para invadir redes corporativas, bloquear acessos e, inclusive, roubar informações além de pedir dinheiro para resgatar as mesmas para as vítimas. E isso tem causado prejuízos para companhias de diferentes segmentos e tamanhos, comprovando a audácia e a eficiência dos ataques.

Neste artigo, vamos abordar 7 falhas que afetam negativamente a capacidade de uma organização manter os dados devidamente protegidos. Confira!

Afinal, por que a segurança de dados é tão importante atualmente?

A transformação digital modificou, de maneira significativa, os hábitos dos consumidores e das companhias. Uma boa prova disso é que as transações pela internet cresceram bastante nos últimos anos, exigindo um maior cuidado com a disponibilização dos serviços digitais e informações pessoais.

À medida que uma empresa fica com o site indisponível por erro na defesa contra os ataques cibernéticos, maiores são as perdas de dinheiro e de credibilidade. Isso porque as vendas deixam de ser realizadas, e os clientes acabam, em muitos casos, passando a procurar a concorrência.

Além dos fatores comerciais e de imagem, a segurança da informação precisa ser valorizada em virtude da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que prevê multas de R$ 50 milhões ou de até 2% do faturamento bruto nos casos envolvendo o roubo ou vazamento de dados. Esse aspecto mostra como respeitar a legislação impacta na capacidade de uma organização se manter competitiva.

Com o objetivo de ajudar o seu negócio a exercer boas práticas de segurança de dados, vamos destacar 7 equívocos que devem ser evitados ao máximo, quando o assunto é proteger sistemas e informações institucionais e pessoais. Acompanhe!

1.Não definir uma política interna de segurança de dados

O primeiro passo para implantar bons procedimentos para minimizar os riscos de um ataque virtual consiste no estabelecimento de uma política de segurança da informação.

Se uma empresa não adotar essa prática, vai dificultar muito o trabalho da equipe de TI na proteção de dados. Isso acontece porque os demais colaboradores não terão uma referência interna para combater as ameaças digitais com eficiência.

Vale lembrar que muitos ataques cibernéticos atingem as metas por causa de falta de atenção e de conhecimento dos funcionários. Essa situação pode ser perfeitamente evitada com orientações e campanhas com foco na proteção dos dados.

2.Pensar que a segurança de dados é apenas um assunto da TI

Por mais que o setor de Tecnologia da Informação seja o responsável pela segurança de dados, é um erro grave considerar que apenas essa área pode evitar que os cibercriminosos afetem as atividades organizacionais.

Em razão da relevância que tem na conjuntura atual, a proteção das informações é uma tarefa que precisa envolver todos os membros de uma empresa. Essa postura se torna ainda mais importante por causa do nível de digitalização da sociedade, em que diversas ações cotidianas podem ser feitas rapidamente pela internet ou até mesmo no telefone celular.

Tanto um órgão público quanto a iniciativa privada cometem uma falha grave se deixarem a segurança digital a cargo apenas do setor de TI. Afinal, qualquer funcionário pode abrir brechas para a presença de ciberataques nocivos para uma organização.

3.Manter máquinas e softwares desatualizados

Inegavelmente, é muito bom investir em recursos de Tecnologia da Informação de ponta e que podem agregar valor ao negócio. Por outro lado, ignorar a necessidade de atualizar os ativos de TI é uma falha lamentável e que revela um amadorismo com relação à segurança de dados.

Para reduzir os riscos de uma rede ser invadida, um bom caminho é optar pela atualização periódica dos equipamentos e dos sistemas utilizados pela companhia. Embora isso pareça óbvio, é válido ter bastante cuidado e controle para manter os recursos tecnológicos dentro das melhores práticas do segmento de TI.

4.Descuidar da manutenção das máquinas

É compreensível que uma empresa tenha como meta a redução de custos para atingir um desempenho cada vez mais expressivo. Entretanto, essa postura não pode comprometer, de forma alguma, a segurança de dados institucionais.

Ao planejar o orçamento, é essencial que haja um olhar atento para a manutenção dos equipamentos de TI. Se essa ação não for adotada, os recursos poderão ter falhas que não vão apenas prejudicar a disponibilidade dos serviços digitais, mas também abrir brechas para ataques virtuais causarem danos de imagem e financeiros consideráveis.

5.Não se preocupar com patches de correção

Outro equívoco lamentável é ignorar a necessidade de corrigir os sistemas, quando a orientação do desenvolvedor aponta para esse caminho. Os patches de correção são essenciais para eliminar vulnerabilidades que podem ser exploradas por cibercriminosos de maneira estratégica em busca de informações institucionais.

Esse fator já justifica um trabalho voltado para atualizar eventuais falhas em softwares. Quanto mais ágil forem implementadas as correções necessárias, menores serão os riscos de uma empresa ser vítima de um ataque cibernético de graves proporções.

6.Não limitar o uso de dispositivos pessoais

É cada vez mais comum os funcionários utilizarem os próprios dispositivos móveis (smartphones, tablets, entre outros) para exercer as atividades profissionais. Essa tendência se tornou ainda mais forte com a expansão do home office, uma das principais consequências da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

Por essa razão, é indispensável adotar uma política que estabeleça regras claras para a utilização de dispositivos pessoais em uma empresa. Caso essa iniciativa não seja realizada, os riscos de ataques virtuais serem bem-sucedidos vão crescer de forma considerável.

7.Não manter uma política de disaster recovery e backups

Mesmo que haja um grande investimento na proteção das informações institucionais, é recomendado haver soluções relacionadas com o disaster recorvery e backups, porque são suas práticas vitais para reaver dados em situações atípicas.

Ao eliminar erros que prejudicam a segurança de dados, menores são as possibilidades de uma organização ser vítima de ações promovidas por cibercriminosos. Por isso, é muito importante que todos os colaboradores tenham consciência da responsabilidade em prevenir o roubo ou o vazamento de informações.

Se pretende aumentar o nível de proteção dos dados do seu negócio com o auxílio do Disaster Recovery, por exemplo, entre em contato conosco agora mesmo! Queremos te ajudar a conquistar mais respeito e credibilidade perante os stakeholders.

TI híbrida: porque a sua empresa precisa apostar nesse conceito

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

Acompanhar o avanço tecnológico tem se tornado uma tarefa cada vez mais complexa. Um dos fatores responsáveis por essa tendência é a transformação digital, que tem modificado a maneira de as instituições gerenciarem os dados e os serviços. Esse cenário tem reforçado a necessidade de se investir na TI híbrida.

Afinal, aprimorar a infraestrutura tecnológica por conta própria requer muito planejamento e recursos financeiros. Em uma conjuntura de instabilidade econômica, é bastante arriscado fazer investimentos robustos com o risco de não ter um retorno de acordo com as expectativas.

Neste artigo, vamos apresentar diversos detalhes sobre essa modalidade de tecnologia que tem sido adotada por muitas instituições no Brasil e no resto do mundo. Confira!

O que é TI híbrida?

Consiste na combinação de uma infraestrutura tecnológica própria com o auxílio dos recursos de um provedor de nuvem. Dessa maneira, uma empresa pode ter mais tranquilidade para gerenciar os ativos de TI, porque terá uma maior flexibilidade na utilização das ferramentas disponíveis no momento.

Ficar dependente de recursos próprios é uma situação muito complicada, porque uma companhia pode não ter condições de suprir a demanda do público-alvo em busca de serviços digitais. Além disso, há a possibilidade de uma falha nos equipamentos ou um ataque cibernético paralisarem as atividades por um longo período, acarretando prejuízos financeiros e de imagem.

A importância da TI híbrida e a sua correta implementação

Manter os sistemas corporativos disponíveis e seguros é um fator crucial para as empresas proporcionarem condições adequadas para os funcionários. Isso se tornou ainda mais relevante com o trabalho remoto, em que os colaboradores necessitam ter acesso aos recursos fora do escritório.

Com a implementação da TI híbrida, é viável fazer com que os empregados sejam mais produtivos, mesmo não atuando na sede institucional. Esse é um ponto que não pode ser ignorado pelos gestores em hipótese alguma.

Outro fator importante é avaliar como utilizar a combinação de recursos tecnológicos internos com os dos provedores de serviços de cloud. Nesse caso, o mais indicado é analisar quais os dados podem ficar sob a responsabilidade da empresa terceirizada. Afinal, é primordial usar a tecnologia e as informações de forma estratégica, para uma corporação ser mais competitiva. 

Também é válido analisar de que forma o provedor de computação em nuvem pode expandir a capacidade de armazenar e processar os dados com segurança. Assim, fica mais simples dimensionar os recursos e verificar os momentos em que será positivo contar com um reforço dos serviços de outsourcing da infraestrutura de TI.

Quais as vantagens que a TI híbrida pode trazer para a sua empresa?

Há muitos benefícios de aproveitar os recursos tecnológicos internos em conjunto com um parceiro qualificado no segmento de Tecnologia da Informação. Para isso ficar bastante claro, vamos apontar as principais vantagens de implantar a TI híbrida, de acordo com as melhores práticas do mercado. Acompanhe!

Diminui custos

A redução de despesas é, sem dúvida, um dos grandes objetivos das companhias atualmente. Isso é uma das principais razões que têm estimulado um maior investimento em serviços terceirizados de TI.

Está cada vez mais complicado investir em equipamentos de ponta e em soluções diferenciadas que aumentam o nível de proteção dos dados. Por isso, contar com um suporte qualificado se tornou uma estratégia inteligente para diminuir despesas com a aquisição de ativos e a manutenção da infraestrutura tecnológica.

Ao diminuir custos sem perder a qualidade dos serviços, uma empresa ganha mais eficiência e competitividade. E isso proporciona mais condições de gerenciar o orçamento e de utilizar os recursos financeiros de forma estratégica.

Possibilita a escalabilidade

A melhoria contínua é uma das posturas mais relevantes para as organizações. Afinal, não acompanhar as principais tendências do mercado é sinal de vulnerabilidade, algo que mais cedo ou mais tarde será devidamente aproveitado pela concorrência.

Em razão disso, a implementação da TI híbrida é uma alternativa muito interessante para adotar a escalabilidade. O motivo é que essa ação propicia gerenciar os recursos tecnológicos e os dados, com base no aumento da demanda.

Uma rede de farmácias, por exemplo, abre novas unidades. Nesse caso, é recomendado contar com uma infraestrutura tecnológica mais robusta para armazenar e disponibilizar as informações. Assim, são menores os riscos de instabilidade nos serviços e de gerar insatisfação nos clientes.  

Garante mobilidade

A computação em nuvem tem como um dos aspectos mais marcantes proporcionar uma grande mobilidade para a equipe. E isso se tornou ainda mais estratégico com a expansão do trabalho remoto.

À medida que os funcionários têm mais condições de exercer as tarefas em locais fora do escritório, maior será a capacidade de cumprir as demandas de acordo com a necessidade da instituição.

Além disso, os empregados terão um ambiente mais favorável para prestar um atendimento de alto nível. Isso porque poderão oferecer respostas mais rápidas, pois terão acesso aos dados em qualquer lugar com conexão à internet. Esse conjunto de fatores mostra como a TI híbrida é peça-chave para expandir a mobilidade corporativa.

Propicia uma infraestrutura flexível

Nem sempre é necessário manter um site com uma grande capacidade de receber visitas durante um período (por exemplo durante a madrugada). Nesse caso, o consumo dos ativos de TI pode ser reduzido de maneira considerável, o que ajuda a reduzir despesas.

A recomendação é fazer com o provedor de cloud computing um contrato que permita flexibilizar o uso da infraestrutura tecnológica. Dessa forma, será mais simples otimizar os recursos e manter os sistemas e informações com alto nível de disponibilidade, segurança e escalabilidade.

Automatiza processos

Para automatizar processos, é necessário contar com um suporte tecnológico eficiente. Por isso, é recomendado adotar a TI híbrida para expandir o uso de soluções que ajudem a realizar tarefas com mais agilidade e eficiência.

Com um bom mapeamento e o uso estratégico da Tecnologia da Informação, é perfeitamente possível atingir um alto grau de automação dos serviços. Assim, uma empresa pode aperfeiçoar os processos, cortar gastos e ser mais competitiva.

Conte com a Ascenty pode te ajudar a otimizar a estrutura de TI híbrida da sua empresa

Reconhecer o papel do avanço tecnológico é uma postura válida para qualquer negócio. Porém, é imprescindível contar com um parceiro qualificado para implantar a TI híbrida corretamente. Nesse sentido, a Ascenty contribui com o uso inteligente dos recursos, pois tem experiência nos segmentos de conectividade, colocation, cloud colocation, entre outras soluções.

Se pretende tornar a infraestrutura tecnológica mais dinâmica, entre em contato conosco agora mesmo!  Queremos ajudar a sua empresa a alcançar uma performance diferenciada no mercado!

Saiba por que a sua empresa não deve manter um Data Center Interno

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

Como o ambiente de Tecnologia da Informação (TI) de uma empresa está se tornando cada vez mais estratégico e relevante, os gestores devem tornar a área mais eficiente e otimizada. Um aspecto que gera dúvidas nas organizações é saber se é mais vantajoso manter um Data Center interno ou contratar uma empresa especializada, que disponibilize um ambiente físico para manter esse centro de processamento de dados, serviço que é chamado de Colocation.

Para solucionar essa questão e fazer com que você tome a melhor decisão, é necessário saber quais são os pontos negativos e positivos de ter um Data Center interno, informações que serão apresentadas durante a leitura deste conteúdo!

Quais são os pontos negativos em manter um Data Center interno?

Aspectos negativos impactam o negócio de diferentes formas, podendo aumentar o risco da organização, prejudicar sua eficiência e reduzir sua competitividade. Entenda-os melhor abaixo.

Riscos de segurança

Data Center internos estão instalados nas dependências da empresa, por isso são bastante sujeitos a interferências físicas, como incêndios, acidentes, desastres naturais (como enchentes), entre outros. Por exemplo, um eventual incêndio pode fazer com que servidores, computadores, discos rígidos, redes e outros equipamentos sejam queimados e todos os dados do negócio sejam perdidos.

Além disso, optar pelo Data Center interno exige que o negócio tenha muitos computadores e equipamentos, o que aumenta as chances de que ocorram acidentes ou incidentes internos, que podem colocar em risco a integridade física dos colaboradores.

Aumento de custos

Há vários custos que precisam ser arcados pela empresa quando ela opta pelo Data Center interno. Um deles é o grande consumo energético, que será bastante elevado e crescerá conforme a organização se desenvolve, já que ela precisará de máquinas cada vez mais robustas.

Nesse aspecto, também é importante considerar a questão ambiental, pois o negócio não conseguirá garantir a sustentabilidade e preservar o meio ambiente, pois precisará gastar cada vez mais energia e água para manter o ambiente de TI em funcionamento.

A entidade também necessitará construir uma sala altamente equipada, com geradores, refrigeração constante para deixá-la na temperatura ideal e garantir que o ambiente esteja em excelentes condições, seguro, entre outros.

Além disso, há gastos amplos com a atualização dos aparelhos, já que como os equipamentos se tornarão obsoletos com o passar do tempo e precisarão ser trocados por outros com maior capacidade de armazenamento, de processamento e que têm recursos mais modernos. Com o rápido avanço da tecnologia e desenvolvimento atualmente, o gestor deve ter em mente que terá um gasto bastante elevado com atualizações.

Por fim, outro gasto impactante diz respeito à manutenção dos equipamentos, pois o funcionamento desses computadores e equipamentos precisarão ser periodicamente revisados para assegurar que eles estejam em pleno funcionamento.

Saiba que a empresa não arcará apenas com os hardwares (peças físicas dos computadores), mas também com colaboradores que estarão designados especialmente para realizar a atualização e manutenção do ambiente de TI.

No entanto, profissionais especializados e experientes na área são mais difíceis de encontrar, além de terem altos salários. Por essa razão, manter todas essas atividades é excepcionalmente custoso, especialmente para pequenas e médias empresas (PMEs).

Como o Colocation surge como a melhor alternativa ao Data Center Interno

O Colocation é a melhor solução para corrigir os problemas listados anteriormente e evitar danos à empresa, fazendo com que ela se torne mais segura, otimizada e eficiente. Entenda melhor as vantagens desta alternativa a seguir.

Segurança otimizada

Os equipamentos estão sob responsabilidade da empresa contratada quando você opta pelo Colocation. Por isso, geralmente, as empresas equipam os ambientes para assegurar a máxima proteção dos eletrônicos. Elas investem em prevenção a incêndios, segurança 24 horas, entrada somente de pessoas autorizadas às salas dos computadores, pontos de checagem, entre outros.

Como a empresa se tornará mais enxuta ao contratar uma empresa de data centers, ela pode minimizar o perigo ao ambiente físico da empresa e à integridade física dos colaboradores.

Outro aspecto relacionado à segurança trata das ferramentas que protegem os sistemas e as informações do negócio, como firewalls, antivírus, sistemas de acesso ao usuário, criptografia de dados, entre outros.

Normalmente uma empresa de Colocation tem robustos sistemas e softwares que diminuem as chances de que cibercriminosos invadam a empresa e subtraiam suas informações.

Diminuição de custos gerais

Migrar os dados para o Colocation elimina os gastos relacionados à infraestrutura do negócio. De forma, geral, a organização não arcará com manutenções, atualizações, monitoramento dos bens, climatização do ambiente, entre outros. Gastos com energia elétrica também serão minimizados, pois o Data Center estará localizado no ambiente da empresa contratada.

Ainda sobre atualizações e manutenções, essas atividades serão delegadas para as empresas de Colocation, que geralmente têm parcerias com os principais fabricantes de equipamentos ou fornecedores na área, o que significa que eles conseguem equipamentos de ponta por preços mais acessíveis.

Uma empresa de Colocation também conta com quadro de colaboradores altamente especializados, que conseguirão realizar uma manutenção eficiente e de qualidade, minimizando o tempo de indisponibilidade do sistema.

Maior possibilidade de escalabilidade

Contar com o apoio de uma empresa de Colocation possibilita que uma organização expanda suas atividades sem arcar com os mesmos custos. Primeiramente, você poderá aproveitar de uma tecnologia de ponta de forma mais econômica e de profissionais especializados sem precisar contratá-los.

Além disso, a organização poderá facilmente alterar a capacidade do processamento do Data Center contratado de acordo com as necessidades do negócio. Por exemplo, em um momento de altas vendas do negócio, pode-se entrar em contato com a empresa contratada e solicitar planos mais robustos.

Por outro lado, é possível firmar planos mais econômicos quando a empresa precisa reduzir suas atividades, evitando que seus equipamentos gerem custos enquanto ociosos.

Melhor suporte

Uma empresa competente oferece um atendimento de qualidade, rápido e que soluciona problemas no primeiro contato. Com um bom suporte à sua disposição, os colaboradores da sua empresa poderão se concentrar em atividades mais estratégicas e relevantes em vez de lidar com manutenções ou atualizações.

O Colocation também engloba a realização de backups constantes e automáticos para que dados perdidos sejam facilmente recuperados, o que facilita ainda mais a rotina da organização.

Você pode contar com o apoio da Ascenty para garantir um Data Center de qualidade, já que ela é líder no serviço de Colocation, sendo a maior empresa em infraestrutura de Data Centers na América Latina. Todos os Data Centers estão em locais estratégicos e são interligados por uma rede própria, com 100% fibra ótica e nova.

Adotar o Data Center Interno prejudica diretamente as operações do negócio, já que isso aumenta consideravelmente seus custos e riscos. Portanto, a melhor solução para potencializar o desenvolvimento da empresa é contratando uma empresa especializada.

Quer saber como a Ascenty ajuda a potencializar o desenvolvimento do seu negócio? Entre já em contato conosco e marque uma reunião!

Entenda a importância de se contar com um parceiro com a Certificação ISO 14.001

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

Hoje, é essencial para as empresas estarem em completa conformidade com a certificação ISO 14.001. Os efeitos positivos que isso pode ter no meio ambiente são enormes. No entanto, muito mais do que a sua empresa, você deve garantir que seus fornecedores também estejam em conformidade.

Afinal, esses efeitos podem ser anulados se os seus parceiros comerciais — ou melhor, todo seu supply chain — não seguir as boas práticas ou não estiverem habilitados com a certificação ISO 14.001.

Neste conteúdo, vamos explicar mais sobre o assunto, explicando o que é essa certificação, quais os benefícios dela para sua empresa, porque seu parceiro deve ser certificado e mais. Confira!

Certificação ISO 14.001: conheça mais sobre o assunto

A certificação ISO 14.001 é uma norma reconhecida internacionalmente que define às empresas os requisitos necessários para consolidar um sistema de gestão ambiental.

Esse sistema, também chamado de EMS ou Environmental Management System, permite que uma empresa minimize seu impacto no meio ambiente, otimizando seus resultados ambientais por meio de uma estrutura que ajuda a identificar riscos ambientais, bem como áreas em que uma organização pode consolidar seus esforços para se tornar mais ecologicamente correta.O certificado ISO é desenvolvido pela Organização Internacional de Padronização (ISO), a maior desenvolvedora mundial de Padrões Internacionais voluntários.

Suas normas oferecem boas práticas e soluções para quase todos os tipos de negócios, ajudando empresas e organizações a aumentar o desempenho enquanto protegem os consumidores e o planeta.

Seus padrões são extremamente populares, como o ISO 9001 de qualidade e o ISO 27001 de segurança da informação — muito embora não seja essa organização que ofereça os certificados, mas as instituições habilitadas para isto.

Esses certificados visam quebrar as barreiras ao comércio internacional.

Quais são os objetivos da ISO 14.001?

Na prática, no entanto, a intenção da certificação ISO 14.001 é definir as bases para que as empresas forneçam evidências objetivas que mostrem como elas estão em compliance com os objetivos, diretrizes, normas e leis ambientais.

O objetivo da ISO 14.001 é criar um sistema de gestão ambiental capaz de:

  • Melhorar continuamente seu desempenho ambiental;
  • Identificar e controlar o impacto ambiental de suas atividades, produtos e serviços;
  • Implementar uma abordagem sistemática para definir objetivos e metas ambientais, bem como para alcançar esses objetivos e para demonstrar que foram alcançados.

Vale também lembrar que o padrão ISO 14.001 exige que uma organização implemente uma série de práticas e procedimentos que resultam em um sistema de gestão ambiental eficaz.

Ou seja, o ISO 14.001 não é uma norma técnica e não substitui os requisitos especificados por leis ou regulamentos, mas um padrão comercial internacionalmente reconhecido.

Esse é um dos motivos pelos quais o ISO 14.001 está se tornando ainda mais importante, especialmente em uma época em que as preocupações ambientais só aumentam.

Por isso, o objetivo da certificação ISO 14.001 é adequar as empresas a essas demandas. É necessário se ambientar às novas necessidades, bem como às expectativas dos seus clientes e às novas regras dos órgãos reguladores.

Hoje, as empresas devem se mostrar sustentáveis e ambientalmente conscientes, de modo que suas atividades — e as daqueles com as quais sua empresa negocia — não prejudiquem o meio ambiente.

Entenda os benefícios dessa certificação para a sua empresa

Certificar as operações de uma empresa com o ISO 14.001 mostra aos seus clientes, fornecedores e partes interessadas que você está comprometido em ser uma organização ambientalmente sustentável.

Isso, é claro, se repete ao longo de sua cadeia de suprimentos: ou seja, não concerne apenas seu negócio, mas os negócios com os quais você fecha parcerias e, por fim, seus clientes!

Adequar-se à certificação ISO 14.001 pode inspirar o aumento das vendas e permitir que seu negócio entre em compliance com as mais complexas normas regulatórias.

Na prática, falamos de benefícios como:

  • Entrar em conformidade com os requisitos legais e regulamentares atuais (e futuros);
  • Atingir objetivos estratégicos, incorporando questões ambientais à gestão empresarial;
  • Melhorar a reputação da empresa e a confiança dos parceiros comerciais por meio de comunicação estratégica;
  • Aumentar o envolvimento da liderança e o engajamento dos funcionários nas ações e projetos em prol da sustentabilidade;
  • Fornecer uma vantagem competitiva e financeira por meio de uma gestão de processos energeticamente eficiente, bem como custos reduzidos;
  • Incentivar um melhor desempenho ambiental não apenas da sua empresa, mas de seus fornecedores, integrando-os às boas práticas implementadas.

A importância de se contar com um parceiro certificado 

Contar com um sistema de gestão ambiente é crucial para o seu negócio, mas negociar com fornecedores certificados pode significar o próximo passo para o seu negócio.

Primeiro, pois é uma forma de incentivar e contribuir com o desenvolvimento sustentável não apenas da sua empresa ou de seus parceiros comerciais, mas de toda supply chain da organização.

Trata-se de uma exigência que modifica toda uma cultura operacional e estratégica, que passa a olhar para o meio ambiente com outros olhos.

Além disso, é uma forma de reduzir custos (como com o uso de energia renovável e/ou economia na utilização de água), entrar em compliance com as normas e legislações relacionadas e de maximizar as chances de investimento.

Isto é, hoje, esse é um dos princípios ESG (Environmental, Social and Governance), que guia as decisões de investidores e fundos de investimento que buscam por empresas comprometidas com causas além das metas financeiras.

Um exemplo é a Ascenty e seu investimento em tecnologia sustentável. Além de possuir a certificação 14.001, a Ascenty investe pesado em sustentabilidade em sua operação — seja para manter seus data centers, como para transformar a cultura operacional do negócio.

Além disso, a Ascenty conta com a certificação ISO 5.001, que atesta sua eficiência em gestão energética.

Gostou de aprender mais sobre a certificação ISO 14.001 e sua importância, bem como por que você deve encontrar parceiros certificados? Entenda tudo que a Ascenty, certificada no ISO 14.001, pode oferecer à sua empresa, converse com nossos especialistas!

6 principais acertos que fazem a sua empresa reduzir o consumo de energia com TI

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

Fazer uma empresa crescer saudável passa diretamente pela redução de custos. Contudo, o consumo de energia de TI nem sempre recebe a atenção que merece. O fato é que o uso dos equipamentos e a própria rotina da equipe impactam significativamente nas despesas da organização.

Nesse sentido, uma boa gestão traz benefícios que vão além da redução de custos. Afinal, a sustentabilidade é um tema amplamente discutido atualmente. Além de assumir uma postura de responsabilidade ambiental, uma empresa que consome menos, constrói uma imagem melhor no mercado, criando oportunidades de negócio.

Não é à toa que algumas organizações — sobretudo multinacionais — valorizam esse quesito na hora de contratar um fornecedor ou terceirizar um serviço. Então, confira a seguir 6 dicas que separamos para ajudar você a reduzir o consumo de energia com TI!

1. Adote a TI verde

O conceito de TI verde (Green IT) surge de um movimento global que tem como objetivo minimizar o impacto que o uso das tecnologias tem nos ecossistemas. Isso envolve toda a cadeia produtiva e exige a aplicação de algumas práticas específicas. Um dos benefícios é justamente o impacto positivo na redução de despesas com consumo energético.

O armazenamento em nuvem é um bom exemplo disso. Com menos hardware dentro da empresa, o consumo de energia elétrica é menor. Já do ponto de vista global, há também uma otimização do uso de hardware, já que o provedor do serviço tira proveito dos equipamentos para atender à demanda de diversas empresas. Isso tem relação direta com uma segunda iniciativa que você pode tomar: a modernização dos equipamentos.

2. Adquira dispositivos mais econômicos

Preocupados com a pauta da sustentabilidade e com o próprio consumo energético, os fabricantes de equipamentos têm desenvolvido produtos cada vez mais econômicos. Nesse ponto, a TI deve estar atenta a um ponto fundamental: quando falamos de reduzir o consumo, não se trata apenas dos servidores e computadores.

Equipamentos como o ar-condicionado e a própria iluminação da empresa influenciam em diferentes níveis o gasto geral. Por isso, é importante investir na modernização da infraestrutura. Quanto mais antigos forem seus dispositivos, maior o consumo tende a ser.

Lembre-se que servidores locais também exigem uma sala refrigerada e toda uma infraestrutura para funcionamento. Então, tecnologias como a nuvem podem ajudar sua empresa a reduzir o uso do ar-condicionado e de outros dispositivos, como sistemas de segurança, nobreaks etc.

3. Otimize o uso do ar-condicionado

E por falar no controle de temperatura, tenha em mente que reduzir o consumo de energia com TI não significa necessariamente renunciar a eles. Um estudo para otimizar o uso do ar-condicionado pode levar a um projeto mais econômico para a empresa.

Vale a pena, por exemplo, desligar um sistema e reduzir a refrigeração do escritório fora do horário de trabalho. Controlar a temperatura por meio de um sistema automatizado também ajuda a evitar desperdício sem renunciar ao conforto e bem-estar dos colaboradores.

No ambiente dos servidores, é possível ainda elaborar um layout de corredores quentes e frios, a fim de direcionar o ar frio para as áreas essenciais.

4. Conscientize seus colaboradores

Toda mudança desse tipo exige engajamento coletivo das equipes. Afinal, o consumo energético não é fruto apenas da presença dos equipamentos, mas também da forma como eles são usados.

Oferecer treinamentos para explicar o impacto dessas ações é um ponto fundamental. Todos devem entender não apenas o que deve ser feito, mas os motivos e as melhores práticas a serem adotadas. 

Configurar o desligamento automático dos computadores ao final do expediente é um bom exemplo de ação automatizada. Porém, vale a pena orientar os colaboradores a desligarem os monitores no horário de almoço ou ao saírem de suas mesas, por exemplo.

Isso nos leva à próxima dica.

5. Crie metas de redução de consumo

É importante que todos tenham metas a serem alcançadas. Isso se aplica aos colaboradores e à equipe de TI como um todo. Definir um cronograma de migração para a nuvem pode ajudar, por exemplo. Porém, é fundamental ter algumas metas que ajudem os colaboradores a entenderem onde a empresa quer chegar.

Somado a isso, adote indicadores que permitam monitorar a redução do consumo de energia. Detalhar o uso de eletricidade em cada área ou por conjuntos de equipamentos pode ser um bom exemplo.

Além disso, lembre-se: o consumo de outros recursos, como a água, também gera despesas e, em alguns casos, estão atrelados ao uso de eletricidade. Então, a economia não deve ser limitada à energia elétrica.

6. Conte com uma solução de colocation

O termo colocation — também conhecido como housing — se refere a uma estratégia de terceirização de data centers. Na prática, sua empresa pode transferir para um provedor do serviço o uso de servidores, que ficam armazenados nas dependências desse parceiro comercial.

Um dos principais benefícios é justamente a redução do consumo energético da empresa. Contudo, o colocation também reduz a demanda por manutenção interna, do uso de hardwares antigos e da própria infraestrutura de refrigeração.

O ambiente virtual destinado à sua empresa é totalmente separado de outros sistemas do fornecedor. Assim, sua TI conta com um espaço dedicado para usar o armazenamento com a máxima eficiência e o nível de segurança dos dados que você precisa.

Uma dica importante é contar com um parceiro comercial que ofereça um serviço com alto nível de desempenho e segurança. A Ascenty é um bom exemplo disso. Líder do mercado de colocation na América Latina, a empresa brasileira entende como ninguém as demandas específicas do território nacional.

Com uma infraestrutura robusta e equipes altamente qualificadas à disposição, a Ascenty promove melhorias significativas para seus clientes, como a redução de custos e um maior controle sobre o ambiente. O serviço inclui, por exemplo, gerenciamento completo das máquinas, além de um alto nível de segurança.

Como você pôde ver, existem formas simples de reduzir o consumo de energia com TI — e esse é um objetivo do qual nenhum de nós pode abrir mão. Então, coloque essas dicas em prática e conquiste resultados cada vez melhores para sua empresa!


Se quer entender como o colocation pode funcionar com eficiência no ambiente específico da sua TI, entre em contato com a Ascenty agora mesmo e tire suas dúvidas!

Conheça as soluções Ascenty que tornam a TI sustentável

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

A Ascenty é uma empresa que preza pela TI sustentável, atualizando-se e investindo em iniciativas, ações e programas que estimulem o cuidado com o meio ambiente. Entre as principais preocupações da Ascenty, destaca-se a eficiência energética em data center.

Somos uma empresa ciente do quão necessária é a tecnologia do data center para o mercado corporativo — seja hoje, como também no futuro. No entanto, a demanda gera a necessidade de uma infraestrutura mais adequada às diretrizes da TI sustentável.

Afinal, sem isso, os data centers podem se tornar um dos focos de consumo exacerbado de energia. Para combater esse problema, a Ascenty já investe nas estruturas que melhor desempenham em relação à climatização, desempenho, organização e gestão.

Além disso, já se destaca como uma empresa alinhada com padrões mundiais de avaliação, com várias certificações. Que tal conferir mais sobre as soluções da Ascenty, bem como as iniciativas da empresa, que mais contribuem com a TI sustentável?

TI sustentável: como a Ascenty se preocupa com o meio ambiente?

A Ascenty é uma empresa engajada com ações sustentáveis, cujo trabalho é pautado pelos princípios ESG – Environmental, Social and Governance ou ASG – Ambiental, Social e Governança.

Na prática, o ESG é um conjunto de padrões adotados por investidores e fundos para avaliar a viabilidade de investimento em uma empresa. De acordo com os princípios do ESG, uma empresa deve ser sustentável, socialmente consciente e contar com uma gestão correta e assertiva.

Através do ESG, os investidores e fundos podem analisar uma empresa para além das métricas financeiras, entendendo sua capacidade (bem como a sua vontade) de impactar positivamente a sociedade, sua comunidade, bem como contribuir com o meio ambiente.

Para se alinhar aos critérios do ESG, a Ascenty criou e implementou o programa “Ascenty cuidando do meio ambiente”. Que tal conhecer as iniciativas?

  • Contratação de empresas especializadas para realizar o descarte correto dos resíduos;
  • Instalação de coletores específicos para papel, metal, vidro, plástico, pilhas e baterias;
  • Treinamento para todos os colaboradores para conscientizar sobre a correta reciclagem de resíduos;
  • Estímulo de uma cultura de redução do consumo (apagar as luzes ao sair de uma sala, uso correto das torneiras e descargas e manutenção periódica para evitar vazamentos);
  • Todos os colaboradores são incentivados a reduzir o uso de copos plásticos. Para isso, a Ascenty fornece um kit sustentável com caneca e uma garrafa de água squeeze.

A conquista do “selo de empresa carbono neutro”

Outra das principais iniciativas da Ascenty foi a conquista do Selo de Empresa Carbono Neutro, seguindo o Programa Brasileiro GHG Protocol.

Com isso, a Ascenty completou 100% das compensações de crédito de carbono de 27 unidades em operação. Desse modo, a empresa neutralizou suas emissões de gases de efeito estufa.

Relacionado ao ano-base de 2020, a Ascenty investiu cerca de R$ 500 mil nesse esforço.

O selo foi o resultado de uma iniciativa da área de ESG da Ascenty, que elaborou um relatório com inventário de emissões GEE da empresa, que levou 4 meses para ser concluído e que contém uma análise quantitativa e qualitativa da situação.

Ao todo, foram 3 escopos:

  • O primeiro: emissões diretas, provenientes de bens próprios da companhia, como automóveis e geradores proprietários.
  • O segundo: emissões indiretas resultantes de insumos da companhia, originadas na íntegra pela geração de energia elétrica consumida pela empresa (que correspondeu a 84,6% das emissões GEE da empresa).
  • O terceiro: emissões indiretas sem controle da empresa, como aquelas resultantes de fontes particulares de funcionários, parceiros e clientes.

Além disso, em 2020, cerca de 90% da energia consumida pela Ascenty foi de origem limpa e negociada no mercado livre de forma incentivada, com rastreabilidade de comprovação das fontes renováveis.

E os 10% restantes? Nesse caso, a Ascenty firmou compensações de carbono diretamente em ações de incentivo e valorização da produção de energia limpa. Entre eles, projetos de construção de usinas hidrelétricas, eólica, solar e de biomassa.

Mas e na prática, quais as soluções da Ascenty que auxiliam na TI sustentável?

Na prática, a Ascenty atua de forma ativa no incentivo à TI sustentável. Entre suas principais ações, está o compliance e conquista do certificado ISO 50001, sobre a implementação dos sistemas de gestão de energia.

Com isso, a Ascenty trabalha com foco na utilização eficiente da energia elétrica em seus mais de 20 data centers.

Assim, há um esforço constante no treinamento e qualificação dos responsáveis técnicos, de modo que assegurem seus processos, prezando pela eficiência e melhor desempenho ecológico.

Outro certificado da Ascenty relacionado à TI sustentável foi o ISO 14001, que estabelece os requisitos para a correta implantação e operação de um sistema de gestão ambiental sustentável.

Desse modo, a Ascenty garante que sua operação esteja sempre em conformidade com as mais rígidas leis e normas internacionais relacionadas ao meio ambiente.

Tudo isso, claro, em meio a uma seleção exclusiva de serviços e produtos relacionados à cloud computing, uma das tecnologias mais sustentáveis da era da transformação digital.

Por isso, a Ascenty continua investindo em ações como:

  • Maior eficiência nos seus ambientes, maximizando a capacidade de fornecimento e reduzindo o consumo energético não crítico;
  • Redução da energia ociosa, de modo que o cliente possa escolher configuração perfeitamente adequadas para o seu ambiente e infraestrutura;
  • Redundância mais precisa, de modo a reduzir os consumos energéticos de maneira considerável;
  • Gestão e monitoramento contínuo dos ambientes para aprimorar a eficiência energética.

A Ascenty é parceira das iniciativas de TI sustentável, sendo uma das empresas que mais se preocupa com a propagação dos critérios da TI Verde.

Gostou de aprender mais sobre o assunto e sobre as ações da Ascenty para se adequar à TI sustentável? Então siga lendo o nosso blog para aprender mais!

E você, ficou interessado em fechar uma parceria de sucesso para o seu negócio, contando com os melhores serviços de cloud computing e soluções de data center? 

Converse com a Ascenty!

TI verde: conheça esse conceito de sustentabilidade tecnológica

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

A Green IT ou TI Verde é um conceito novo, que prega pelo uso sustentável dos recursos no setor de Tecnologia e Informação — seja nos setores das empresas, como nas empresas que desenvolvem, produzem e comercializam tecnologias, dispositivos e sistemas tecnológicos.

Ou seja, a TI Verde trata-se de um esforço consciente de empresas para utilizar a tecnologia de maneira ambientalmente correta no local de trabalho.

Assim, ele incentiva as empresas a reduzir o consumo de energia, limitar o desperdício de papel e usar mais serviços e aplicativos baseados em nuvem.

Que tal explorar mais a fundo o conceito de TI Verde, como funciona e sua importância no mercado corporativo de hoje? Então siga nosso conteúdo!

Qual é o conceito de TI Verde?

TI Verde refere-se ao conjunto de ações e táticas de um uso consciente e ambientalmente responsável de computadores e recursos de TI no ambiente de trabalho.

Em outras palavras, a TI Verde é o estudo, engenharia, fabricação, uso e descarte de dispositivos de tecnologias e dispositivos de computação de forma a reduzir seu impacto ambiental.

Hoje, não é segredo que tudo que envolve a computação consome muitos recursos naturais: das matérias-primas necessárias para fabricá-los até a energia usada para operá-los — sem esquecer os problemas para descartá-los.

Para você ter noção, de acordo com dados de uma pesquisa da Perillon, 25% das empresas americanas admitiram estar trabalhando em mudanças em suas operações com foco em sustentabilidade, com foco em novas tecnologias eco-friendly.

Quais vantagens de adotar a TI verde na sua empresa

Um dos grandes diferenciais da TI Verde é que ela não apenas traz benefícios para o meio ambiente, mas impacta positivamente nos negócios e na experiência de seus clientes. Ou seja, um ciclo completo de vantagens.

Mas… Quais seriam elas? Sabemos que pode ser difícil descrevê-las ao olhar para o conceito de TI Verde de longe.

Então, aproximamos a perspectiva e escolhemos alguns dos principais benefícios desse conceito para você conferir, veja só:

Ajuda o meio ambiente

A TI Verde ajuda as empresas a contribuir com a questão ambiente de múltiplas formas, sendo:

  • Redução do uso de água: Torneiras aeradas, vasos sanitários eficientes e sistemas de cronometragem externos podem reduzir significativamente o uso de água. Uma solução já comum são as torneiras com sensor de movimento que desligam automaticamente.
  • Redução do uso de papel: Uma empresa paperless é amiga do meio ambiente, pois elimina uma grande parte dos resíduos mais comuns do local de trabalho. É algo que reduz custos com armazenamento e descarte.
  • Redução do uso de energia elétrica: Pequenas mudanças, como o uso de iluminação LED, podem economizar muito dinheiro todo mês.

Melhora a imagem da empresa em relação ao mercado

Hoje, cada vez mais consumidores são ambientalmente conscientes e preocupados.

Na verdade, de acordo com dados da INC., 73% dos millennials estão dispostos a pagar mais por produtos sustentáveis, bem como fazer negócios com empresas que são ecologicamente corretas.

Ao anunciar (e mostrar) sua empresa para o público em geral como verde, você pode ver um aumento significativo nas vendas e leads.

É claro, você precisará de um bom marketing, mas as ações internas de TI Verde conversam com uma boa parcela de clientes, atraindo sua atenção.

Melhora o desempenho dos colaboradores

Afinal, como pode a TI Verde impactar na produtividade? Veja só:

É muito mais fácil encontrar documentos na nuvem do que vasculhar um arquivo físico!

Com a TI Verde, você é obrigado a investir em soluções digitais para solucionar problemas e ajudar nas tarefas corporativas do dia a dia.

Falamos tanto de soluções na nuvem, como já citamos, como também o uso de dispositivos móveis.

Na verdade, algumas organizações podem ter melhorias de até 25% na produtividade, apenas por mudar para uma plataforma digital de operação.

Assim, sua empresa pode até mesmo conquistar receitas adicionais e desenvolver novos modelos de negócio.

Outro ponto é que a TI Verde pode também ser responsável por melhorar a qualidade do ambiente de trabalho.

Isso se dá com uso de soluções tecnológicas que controlam a qualidade do ar, a temperatura e mesmo a umidade do ambiente.

Diminui os custos da empresa

Com a TI Verde, você pode eliminar (ou reduzir) vários centros de custo da sua operação. Um exemplo é com os materiais de escritório!

Os gastos com canetas, clips, marcadores e muito mais podem ser reduzidos com uso de sistemas, softwares e soluções baseadas na nuvem.

Veja bem: quanto sua empresa gasta com tinta de impressora, manutenção e substituições? Apostamos que esse valor é bem alto!

Com a migração para uma operação digital, apoiada na TI Verde, é possível reduzir todos esses gastos.

Como começar a implementar a TI verde na sua empresa?

Agora, tornar sua operação mais verde é um desafio. Há várias etapas relacionadas a essa transformação. No entanto, você sabe como começar a implementar a TI Verde? A seguir, te mostramos os principais passos, confira!

Invista em soluções na nuvem

Seu principal amigo na jornada pela TI Verde é o cloud computing.

Com a nuvem, você digitaliza sua operação — parcial ou completamente — e pode aproveitar de soluções terceirizadas (SaaS, PaaS e IaaS) para maximizar sua produtividade e, claro, reduzir custos.

Além disso, dependendo do provedor que você escolher, pode aproveitar de recursos diferenciados e todo um ecossistema de conectividade capaz de melhorar sua operação.

Opte por soluções paperless

Um grande primeiro passo para tornar sua TI Verde é investir em soluções paperless. Lembra do SaaS, PaaS e IaaS que mencionamos? São boas alternativas para você reduzir o uso de papéis (bem como reduzir a necessidade de armazená-los).

Oriente a sua equipe

Treinamento, qualificação e orientação são necessários para que sua equipe não apenas entenda o que é, mas porque é importante aplicar os preceitos da TI Verde.

Opte por parceiros preocupados com essa questão

E claro, lembre-se que a TI Verde é o resultado de todo um ecossistema de empresas investidas nessa ideia.

Por isso, procure fazer negócios com fornecedores preocupados com o meio ambiente, adeptos da TI Verde.

Uma forma de garantir isso é fazendo negócio com parceiros comerciais com certificados reconhecidos, que sigam padrões mundiais de avaliação.

A Ascenty, por exemplo, possui vários certificados. Relacionados à sustentabilidade de forma direta, são dois:

  • ISO 14001 (Meio Ambiente): A certificação ISO 14001 garante que a Ascenty opere em conformidade com as leis vigentes e com total respeito ao meio ambiente, contribuindo dessa forma para uma qualidade socioambiental correta e adequada ao planeta.
  • ISO 50001 (Gestão Energética): A energia é o principal insumo para o bom funcionamento de um Data Center. Com base nisso, a Ascenty, que possui mais de 20 Data Centers de alta capacidade energética, trabalha com foco na utilização eficiente da energia elétrica em seus sistemas. A empresa direciona esforços para treinar e qualificar os times técnicos para garantir a melhoria contínua dos seus processos, seguindo sempre a legislação vigente.

E então, gostou de aprender mais sobre a TI Verde? Esse é um conceito importante que nós da Ascenty acreditamos e investimos cada vez mais!

E agora, que tal seguir aprendendo sobre gestão de TI e soluções que melhorem sua infraestrutura de dados? É só continuar de olho em nosso blog!

Qual o papel do Data Center na Indústria 5.0?

Que tal ouvir o nosso conteúdo?

Se os dados já eram importantes em movimentos como a Transformação Digital e a Indústria 4.0, eles se tornam protagonistas quando o assunto é a Indústria 5.0.

Na quinta revolução industrial, os data centers serão base para a consolidação de uma economia produtiva sustentável, 100% personalizada e movida por IA e Big Data. Mas afinal, você sabe o que é a Indústria 5.0 e como os data centers serão providenciais para sua efetividade?

Com tecnologias desempenhando 100% do papel operacional e com a inteligência humana servindo de guia estratégico, os data centers serão pilares para a nova Era da produção industrial.

Nesse artigo, vamos mergulhar no assunto, introduzindo o conceito de Indústria 5.0 e sua relação com Data Centers. Vamos lá?

Indústria 5.0: o que é?

A Indústria 5.0 é a quinta revolução industrial, que prega o trabalho conjunto de humanos com robôs e dispositivos smart. Ou seja, trata-se de usar os robôs como ferramentas para tornar o trabalho dos humanos melhor, mais rápido e eficiente.

Tudo isso com uso de tecnologias como IoT, Inteligência Artificial, Big Data, Dark Analytics, Edge Computing, sustentado por Data Centers de última geração.

Hoje, no ambiente industrial, os robôs já realizam trabalhos perigosos, monótonos ou fisicamente exigentes, como soldagem, pinturas e carregamento e descarregamento de materiais pesados em depósitos.

À medida que as máquinas e dispositivos smart se tornam mais inteligentes e conectados, a Indústria 5.0 busca combinar essas capacidades de computação cognitiva com inteligência humana em operações colaborativas.

A Indústria 5.0 é um movimento novo, ainda em desenvolvimento — já é uma realidade em países mais avançados, e uma novidade em outros, nos quais a Indústria 4.0 ainda é o objetivo.

Conheça os principais benefícios que a Indústria 5.0 é capaz de trazer

Bom, e o que a Indústria 5.0 pode trazer de vantagens para o seu negócio? Essa é uma pergunta importante para quem trabalha no setor industrial.

A resposta, é claro, pode ser dividida de várias maneiras.

Primeiro, podemos estabelecer que a Indústria 5.0 não chegou para substituir tudo o que foi (e ainda será) conquistado na Indústria 4.0, mas sim para ser uma evolução do conceito.

Na prática, isso traz vários benefícios, confira:

Diminuição de custos

Com utilização mais assertiva dos dados coletados por dispositivos inteligentes e ultraconectados, você pode otimizar os processos produtivos ao máximo.

Ou seja, vai potencializar o uso de automação de processos, aproveitando de toda inteligência cognitiva dos funcionários para direcionar a cadeia de produção.

Mais participação humana

Veja bem: a Indústria 5.0 não visa substituir os humanos por robôs, mas integrá-los de maneira mais eficiente.

Ou seja, na nova realidade, os humanos têm uma função ainda mais importante na realização estratégica da cadeia produtiva (como na interpretação de dados para personalização de produtos), enquanto as máquinas e robôs lidam com o operacional e o trabalho pesado.

Automatização

Além disso, a Indústria 5.0 visa providenciar o “próximo passo” para automatização de processos.

Ou seja, com uso de Inteligência Artificial e Machine Learning, os computadores poderão processar experiências de maneira mais eficaz e aprofundada. Assim, aplicarão melhorias imediatas na cadeia produtiva, poupando custos e otimizando o tempo de adequação da empresa.

Mais sustentabilidade

Com a Indústria 5.0, é possível conceber novas políticas sustentáveis, com foco na geração mínima de resíduos, bem como na criação de uma economia circular.

Isso permite que as empresas da indústria alinhem sua cadeia produtiva às novas tendências e exigências do consumidor.

Data Center: essencial para o sucesso da Indústria 5.0

Mas afinal, como a Indústria 5.0 utilizará os data centers? Bom, de uma coisa você já sabe: o movimento será baseado — mais do que hoje — em dados.

E para armazenar, organizar e processar dados, é necessário contar com data centers capazes de lidar com a demanda. Cada vez mais, um dos principais centros de custos das indústrias será a sua infraestrutura de dados. E essa não é uma má notícia, mas sim uma previsão do que virá no futuro.

Os dados serão o “novo petróleo” para as indústrias, que deverão se adequar a uma realidade na qual a manufatura será escalável e personalizada. Afinal, a customização é um dos pilares da manufatura do futuro. Em vez de fazer produtos em massa, as indústrias terão a capacidade de desenvolver produtos sob medida para uma grande quantidade de clientes.

E não pense que isso é impossível, visto que existem empresas hoje em dia que já fazem isso.

Um exemplo? A Tesla Motors, que fabrica seus veículos elétricos conforme a demanda e de acordo com as especificações do cliente — que pode personalizar praticamente tudo que quiser.

Mas como os data centers serão utilizados? Bom, como eles são utilizados hoje, mas de maneira mais ampla durante a cadeia produtiva e estratégica.

Por exemplo, na agricultura, empresas já utilizam técnicas de ciência de dados, data lakes e machine learning. Assim, é possível melhorar a performance de fazendas de baixo desempenho.

Tudo isso de acordo com uma pesquisa capitaneada pelo MIT.

Na prática, significa que os data centers serão os pilares para a Indústria 5.0, servindo de base para a organização e processamento aprofundado dos dados de produção e do mercado.

Além de melhorias operacionais, sua empresa verá resultados positivos no mapeamento de insights valiosos para atingir mais clientes.

Gostou de aprender o que é a Indústria 5.0 e como os data centers vão cumprir um papel de destaque nesse movimento? 

Então comece sua transformação agora: a Ascenty possui a maior infraestrutura de Data Centers da América Latica, com 21 unidades em operação ou construção.

Que tal conferir como podemos ajudar seu negócio a entrar de vez na Indústria 5.0? Marque uma reunião com nossos especialistas!